22
Apr

Mercados cambiais regressam com uma aparente normalidade

 

O maior ponto de interesse dos mercados financeiros neste momento, é nos países onde já se notou um abrandamento de algumas das restrições relacionadas com a Covid, e acompanhar os dados de evolução dos infetados nesses países.

Os dados ainda preliminares dos índices PMI (Purchasing Managers Index) de atividades de empresas de Abril, serão conhecidos em breve na Europa e Reino Unido, permitindo quase uma leitura em tempo real dos dados, é provável que por demonstrarem valores tão baixos a sua utilidade seja bastante limitadaNos EUA, o desemprego é um dado mais elucidativo dos danos causados no mercado de trabalho.

 

Na Europa apresar de todas as atenções estarem voltadas para os índices PMI, estes podem revelar-se pouco uteis numa fase tão prematura dos acontecimentos.

Os mecanismos atuais do BCE, em especial o recém-cunhado PEPP, serão suficientes para conduzir a Itália e a Espanha através de qualquer estímulo fiscal que seja necessário para ultrapassar a crise. O resultado desejado é que a S&P tenha isso em consideração e mantenha inalterada a cotação de Itália. O que seria positivo para a moeda única.

 

Relativamente á Libra esterlina, o resultado esperado são repercussões graves relativas a volatilidade da moeda. É provável também que os dados de desemprego atinjam valores recordes. Os números esperados são desastrosos, no entanto a expectativa é também baixa.

 

Já nos EUA as vendas a retalho desceram 8.1%, e na semana passada perderam-se 5.25 milhões de postos de trabalho,devido á crise. A dimensão  dos despedimentos de tal ordem que pode refletir-se no mercado Europeu. No entanto as regras imposta na EU é são bastante mais rigorosas no que toca a despedimentos e poderá revelar-se uma mais valia para a Europa.

O Dólar permanece com valor inferior face às moedas europeias.